Meu cachorro me morde, é estressado, não obedece....

O que leva o cão a ficar estressado?

. solidão

. falta de carinho
. falta ou excesso de exercícios
. rotina tediosa
. ambiente agitado



 

Quais são os sintomas?

lamber as próprias patas, cavar, uivar, latir excessivamente, chorar e, em muitas às vezes,
urinar e defecar em locais inapropriados, onde ele não estava acostumado a fazer.


Gente, a maioria destes problemas tem uma solução muuuito simples, só que requer um tempo diário. Para que o cão passe a ser mais comportado, não morder tudo o que vê, e que seja mais tranquilo e feliz, a solução é simples: PASSEIO.




Sim, passear com o cachorro é um ato quase milagroso para resolver estes comportamentos desagradáveis. Eles ficam muuito felizes e satisfeitos. Um passeio ao dia de 20 minutos para cães pequenos e de 40 minutos para cães maiores é ótimo para eles e com certeza pra você também!

Quer deixar o passeio mais divertido? Faça corridas, ande de patins, skate, bicicleta.... Mas vá com calma, só faça isso se você tiver domínio do esporte, ok???


Leiam este artigo:




Já era de conhecimento no meio científico que os baixos índices do hormônio serotonina, responsável pela sensação de bem-estar no organismo, está associado à depressão e ansiedade. O que poucos sabiam, no entanto, é que até mesmo os cachorros também podem sofrer por causa da falta do importante hormônio. 





Segundo revelou o site do jornal Telegraph cães que costumam rosnar com frequência e que se mostram agressivos podem estar, na verdade, deprimidos. A descoberta pode ajudar os estudiosos a tratar os diversos casos semelhantes que chegam aos consultórios veterinários.
O estudo foi publicado no jornal Applied Animal Behaviour Science, que revelou os métodos utilizados na pesquisa. Segundo a publicação, foram coletadas 80 amostras de sangue de cães que se revelaram agressivos de uma hora para a outra. O sangue de cachorros com comportamento normal também foi coletado para auxiliar na comparação.
Os resultados revelaram que os cães agressivos tinham uma significativa diminuição na quantidade de serotonina. Algo em torno de 278 unidades contra 387. Em compensação, o nível de cortisol, substância ligada ao estresse, era duas vezes maior nos animais agressivos.
Com a descoberta, pesquisadores da Universidade de Zaragoza, na Espanha, disseram que, da mesma forma que antidepressivos são utilizados para auxiliar os humanos com depressão, os remédios também põem ajudar os pets.

http://www.emporto.com.br/index/colunista-post/id/259/print/sim 

http://meucaomeuamigo.blogspot.com/ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário