Acne solar: uma doença típica do verão

Além de deixar a pele esteticamente feia, a acne solar causa um enorme desconforto devido à irritação da pele.

Com a temperatura atingindo graus elevadíssimos no país, nossa pele fica mais exposta aos raios solares. E o excesso de sol pode levar a uma doença comum no verão: a acne solar. Este tipo de acne produz na pele bolinhas avermelhadas e endurecidas, podendo algumas serem doloridas, uma vez que a pele está inflamada.
Para as mulheres é um verdadeiro circo de horrores ter a pele cheia dessas bolinhas logo no verão, a estação das saias, dos tomara-que-caia e das pernas de fora. A acne solar costumar aparecer geralmente nas costas e nos ombros porque são áreas mais afetadas durante a exposição ao sol.


Causas
Para a dermatologista Luciana Macedo de Oliveira, dois fatores propiciam o surgimento da doença: o calor e o aumento do suor. "Estes dois elementos favorecem o desenvolvimento de micro-organismos como fungos e bactérias, que facilitam o surgimento de infecções da pele. A acne solar está ligada a essa contaminação", explica a médica.

Prevenção
Uma forma de prevenir a doença é usar o filtro solar principalmente para as mulheres com peles oleosas ou que tenham predisposição para o surgimento de acnes. "Recomendamos o uso de filtros oil free, mas a aplicação deve ser feita antes e durante a exposição ao sol", orienta Luciana.

Tratamento
O objetivo de um tratamento é tentar evitar, ao máximo, as marcas definitivas na pele. De modo geral, o tratamento é feito com as medicações usualmente utilizadas para tratar a acne comum, como esfoliantes e antibióticos em loção ou gel, quando houver inflamação. Mas aí vai uma boa notícia: mesmo sem tratamento, com o passar do tempo e você evitando se expor demais ao sol, a acne solar tende a melhorar gradativamente. 

Estresse: uma das principais causas
Se você achou que as espinhas eram privilégio das adolescentes ou mulheres mais jovens, enganou-se! A acne - e não apenas a solar, mas a comum - também pode acometer mulheres na casa dos 30 anos. E o estresse é apontado como uma das principais causas para o crescente número de mulheres com acne na vida adulta.

"Uma, em cada cinco mulheres fica chocada ao desenvolver a condição após os 25 anos de idade. Mesmo as que nunca tiveram espinhas na adolescência podem apresentar o problema na fase adulta", explica a dermatologista Cristine Carvalho, diretora do CDE (Centro de Dermatologia e Estética). Mas por que o estresse é o grande vilão?

O estresse, explica Cristine, faz as glândulas suprarrenais liberarem mais hormônios masculinos, o que desencadeia a produção de mais oleosidade pela pele que bloqueia os poros. "No Reino Unido, as pesquisas indicam que 66% das mulheres que são mães e trabalham fora lutam contra as espinhas", observa a médica. Além disso, as mulheres são até três vezes mais propensas a sofrer de acne do que os homens e a diferença pode ser devido ao fato de a pele feminina ser mais sensível à ação dos hormônios masculinos sobre as glândulas sebáceas.

Créditos: http://estilo.br.msn.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário